888_ -Ao menos sete pessoas envolvidas em ataques racistas contra o jogador brasileiro Vínicius Júnior for

Aplicação da Lei888_ - Brasileira Pós-Sugestão de Dino

Ao menos sete pessoas envolvidas em ataques racistas contra o jogador brasileiro Vínicius Júnior foram presas nesta terça-feira (23) na Espanha. As detenções aconteceram um dia depois çãodaLeiBrasileiraPósSugestã888_ -que o ministro da Justiça do Brasil, Flávio Dino, citou a possibilidade de aplicar a legislação brasileira contra agressores do jogador, que é vítima de reiterados ataques no país europeu.

Continua após publicidade

Segundo informações da imprensa espanhola, quatro pessoas foram presas em Madri, capital do país, acusadas de participação em um episódio registrado em janeiro deste ano, quando supostos torcedores do Atlético de Madrid, rival do Real Madrid, time do jogador brasileiro, simularam o enforcamento de um boneco com o nome do jogador em uma ponte da cidade horas antes de uma partida entre as equipes.

Leia mais: Vini Jr.: Precisamos de práticas antirracistas com punições exemplares, dentro e fora de campo

Os outros três detidos estavam em Valência, cidade onde foi registrado o mais recente ataque a Vínicius. No último domingo (21), integrantes da torcida do Valencia, time local, entoaram gritos chamando o jogador de "mono" ("macaco", em espanhol), antes e durante partida contra o Real Madrid.

Na segunda-feira (22), em meio a diversas manifestações formais do governo brasileiro sobre o caso, o ministro da Justiça, Flávio Dino, não descartou usar o princípio da extraterritorialidade, previsto no Código Penal, como um "remédio extremo" em caso de crimes contra brasileiros ocorridos no exterior, "em caso de inércia das autoridades inicialmente competentes".

"Tema da extraterritorialidade ainda está em análise e depende de uma série de fatores. Apenas lembro que está no Código Penal, já que alguns estão questionando a menção que fiz como um remédio extremo. Acho que é útil que todos saibam a existência dessa proteção aos direitos dos brasileiros. A propósito, o princípio também existe na Espanha e em outros países", disse o ministro, no Twitter.

Vini agradece apoio recebido

Vítima de agressões racistas, o jogador brasileiro ainda teve que lidar com uma expulsão na partida diante do Valencia após revidar um golpe "mata-leão" que recebeu de um jogador adversário. Além disso, foi criticado publicamente, via redes sociais, pelo presidente da La Liga (entidade que administra o campeonato espanhol), Javier Tebas, que tentou transferir a ele responsabilidade sobre o caso.

Leia mais: "Pelé sempre foi vítima de racismo", diz jornalista Paulo Cesar Vasconcellos

Vini, então, reiterou as cobranças feitas à entidade e às autoridades espanholas. "Omitir-se só faz com que você se iguale a racistas. Não sou seu amigo para conversar sobre racismo. Quero ações e punições. Hashtag não me comove", disse, em resposta direta a Tebas.

Desde domingo, o jogador vem recebendo apoio de pessoas e entidades de todo o mundo. Jogadores das principais equipes brasileiras e europeias se manifestaram, assim como artistas, líderes políticos e torcedores de todos os times.

Na noite da última segunda-feira, a estátua do Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, teve as luzes apagadas em solidariedade ao jogador. Em publicação no Twitter, Vini se disse emocionado e agradeceu por "toda a corrente de carinho e apoio" que recebeu nos últimos meses.

Preto e imponente. O Cristo Redentor ficou assim há pouco. Uma ação de solidariedade que me emociona. Mas quero, sobretudo, inspirar e trazer mais luz à nossa luta.

Agradeço demais toda a corrente de carinho e apoio que recebi nos últimos meses. Tanto no Brasil quanto mundo… pic.twitter.com/zVBcD4eF8k

— Vini Jr. (@vinijr) May 22, 2023

Edição: Nicolau Soares


Relacionadas

  • Vini Jr.: Precisamos de práticas antirracistas com punições exemplares, dentro e fora de campo

  • Cantos racistas contra Vini Jr. começaram antes da partida, fora do estádio; veja

  • Anielle confirma contato do governo com autoridades espanholas sobre Vini Jr: 'Isto é um basta'

  • Sem baixar a cabeça: Vini Jr. tem postura firme após novo episódio racista e peita dirigente

BdF
  • Quem Somos

  • Parceiros

  • Contato

  • Política de Privacidade

  • Termos de Uso

  • Expediente

Brasil de FatoBdF

BdF
  • Quem Somos

  • Parceiros

  • Contato

  • Política de Privacidade

  • Termos de Uso

  • Expediente

Brasil de FatoBdF
  • Publicidade

  • Contato

  • Newsletters

  • Política de Privacidade

  • Redes sociais:


    Todo o conteúdo de produção exclusiva e de autoria editorial do Brasil de Fato pode ser reproduzido, desde que não seja alterado e que sejam dados os devidos créditos.

    Visitantes, por favor deixem um comentário::

    © 2024.sitemap